Conheça os técnicos das seleções da Copa do Mundo 2022

Maren Souza /
tite-brasil-copa-2022

Venha conhecer um pouco da história dos técnicos das 32 seleções participantes da Copa do Mundo 2022. Confira quem são os estreantes e os mais experientes.

Confira os técnicos das 32 seleções participantes da Copa 2022

Você sabe quem são os técnicos das seleções da Copa do Mundo 2022? Neste ano, muitos treinadores estão fazendo sua estreia no mundial da FIFA e outros são velhos conhecidos da torcida.

Neste artigo, vamos te apresentar os 32 técnicos de seleções desta Copa do Catar. Descubra um pouquinho da história de cada um deles.

Para você que é fã de futebol e de apostas, confira abaixo quais são as melhores casas de apostas para você dar o seu palpite neste mundial.

Sujeito a termos e condições aplicáveis pela empresa, de acordo com o ato de confirmação de compra e de apostas.

Sujeito a termos e condições aplicáveis pela empresa, de acordo com o ato de confirmação de compra e de apostas.

32 técnicos de seleções na Copa do Catar 2022

Tite (Brasil)

O técnico Tite dispensa apresentações. No comando da Seleção Brasileira desde junho de 2016, Tite já é quarto técnico com mais jogos pela seleção, com 61 partidas (ao final da Copa, se o Brasil chegar até a final, serão 68), atrás somente de Zagallo, Carlo Alberto Parreira e Dunga.

A Copa de 2022 é a segunda consecutiva de Tite.  Desde Telê Santana, comandante do Brasil nas Copas de 1982 e 1986, um técnico da Seleção não participava de dois mundiais seguidos.

Félix Sánchez (Catar)

O treinador espanhol, Félix Sánchez, assumiu a seleção catari em 2017. Antes disso, já havia treinado as categorias de base da seleção. Durante 10 anos (de 1996 a 2006), foi técnico do sub-20 do Barcelona.

Seus principais títulos são: Campeonato AFC Sub-19 pelo Catar em 2014; Copa da Ásia 2019, primeiro título internacional do Catar.

Aliou Cissé (Senegal)

Enquanto jogador, Aliou Cissé foi um dos principais ídolos da história do futebol senegalês. Agora, o ex-volante tenta uma nova carreira como treinador. Desde 2015 como técnico da seleção de Senegal, Cissé conquistou o título do Campeonato Africano de Nações de 2021, inédito para seu país.

Louis van Gaal (Holanda)

O holandês Louis van Gaal é o técnico mais velho e, talvez, o mais experiente deste mundial. Com passagens como treinador por grandes equipes como Ajax, Barcelona e Bayern de Munique, Gaal já foi campeão da Champions League, Mundial de Clubes, Campeonato Espanhol e Campeonato Alemão.

Pela seleção holandesa, esta é sua terceira passagem (2000-2002, 2012-2014 e 2021) e seu terceiro mundial (Copa de 2002, Copa de 2014 e Copa de 2022). Porém, Louis van Gaal ainda não conquistou nenhum título no comando da laranja mecânica.

Louis van Gaal, treinador da Holanda.

Gareth Southgate (Inglaterra)

Gareth Southgate foi um bom zagueiro inglês que esteve presente na Copa de 2022. Como técnico, está à frente da seleção de seu país desde 2016, acumulando bons resultados como, por exemplo, o vice-campeonato da Eurocopa 2020.

Embora seja pouco experiente, Southgate conseguiu dar equilíbrio à seleção inglesa e colocá-la de volta entre os países favoritos ao título da Copa do Mundo 2022.

Lionel Scaloni (Argentina)

Lionel Scaloni foi alçado a técnico interino da seleção argentina logo após a Copa de 2018, com a demissão de Jorge Sampaoli. A ideia era que Scaloni, ex-auxiliar técnico, comandasse o time apenas por algumas partidas até que um novo técnico mais experiente fosse contratado.

Porém, com a dificuldade de encontrar um novo técnico, somado aos bons resultados conquistados, Scaloni foi efetivado no cargo. Em pouco tempo, o técnico conquistou o apoio da torcida e dos jogadores.

Em 2021, sob seu comando, a seleção argentina conquistou a Copa América e quebrou um jejum de títulos que já durava mais de 28 anos. Além disso, o Scaloni chegou ao mundial com uma invencibilidade de 34 jogos, a maior da história da seleção argentina.

Hervé Renard (Arábia Saudita)

O francês Hervé Renard é um destes técnicos que fez sua carreira e sua fama treinando times e seleções menores. Antes de assumir a seleção da Arábia Saudita em 2019, Renard treinou as seleções do Marrocos, da Costa do Marfim, da Zâmbia e de Angola.

Além disso, seus dois principais títulos são: Copa das Nações Africanas 2012, pela Zâmbia, e Copa das Nações Africanas 2015, pela Costa do Marfim.

Tata Martino (México)

Embora o técnico argentino, Tata Martino, seja muito experiente, esta é sua primeira Copa do Mundo. Com passagens por Barcelona (2013-2014) e pela seleção argentina (2014-2016), Tata Martino assumiu o México em 2019 com o objetivo de classificar a equipe para o mundial de 2022. Agora, sua próxima meta é levar o México ao seu melhor resultado em Copas do Mundo.

Tata Martino, técnico argentino treinador do México.

Czeslaw Michniewicz (Polônia)

Com pouca experiência como treinador de futebol, o polonês Czeslaw Michniewicz chegou à seleção de seu país após a saída do português Paulo Souza, no começo de 2022. Como a federação não tinha condições de contratar outro técnico mais renomado, Michniewicz foi a melhor opção encontrada.

Didier Deschamps (França)

Didier Deschamps foi o capitão da seleção francesa no primeiro título mundial, em 1998. Desta vez como técnico, Deschamps conquistou o bicampeonato mundial na Copa 2018. Este título lhe garantiu a entrada na seletíssima lista de campeões mundiais como jogador e como técnico, ao lado de Zagalo e do alemão Franz Beckenbauer.

Kasper Hjulmand (Dinamarca)

Com uma carreira de treinador realizada somente em seu país, o dinamarquês Kasper Hjulmand chegou à seleção principal em março de 2019. Desde então, vem fazendo um trabalho considerado muito bom, colocando a Dinamarca como uma forte equipe europeia.

Graham Arnold (Austrália)

O australiano Graham Arnold assumiu a seleção de seu país, pela segunda vez, em 2018. Além disso, também foi técnico da seleção olímpica entre 2007 e 2008. Sua experiência é bastante ampla, porém restrita ao futebol australiano e a uma breve passagem pelo Japão.

Luis Enrique (Espanha)

Embora seja considerado um técnico jovem, Luis Enrique já acumula boas experiências e importantes títulos na carreira. Durante os anos que foi técnico do Barcelona (2014-2017), Luis Enrique um mundial de clubes, uma Champions League e dois campeonatos espanhóis.

Após a Copa de 2018, Enrique assumiu o posto de técnico da seleção espanhola, com a responsabilidade de construir uma nova geração de jogadores. Até agora, o técnico vem conseguindo dar consistência a sua equipe.

Luis Enrique, técnico da seleção espanhola.

Hans-Dieter Flick (Alemanha)

Podemos dizer que a carreira de treinador de Hans-Dieter Flick começou há pouco tempo, em 2019, ao assumir o comando do Bayern de Munique. De lá para cá, o Flick conquistou um título de Champions League, um mundial e dois campeonatos alemães.

Por esse sucesso repentino e pelo bom jogo implantado no Bayern, em 2021, a federação alemã de futebol convidou Flick para substituir o técnico Joachim Löw, campeão da Copa de 2014, no comando da Seleção.

Hajime Moriyasu (Japão)

Na última copa do mundo, Hajime Moriyasu era auxiliar técnico da seleção japonesa. Após o mundial, o técnico foi demitido e Moriyasu assumiu o comando da equipe. Sua experiência como treinador passa pela seleção japonesa sub-23 e pelo clube Sanfrecce Hiroshima, onde esteve por 4 anos.

Luis Fernando Suárez (Costa Rica)

O colombiano Luis Fernando Suárez é um técnico com muita experiência, tendo passado por várias equipes sul-americanas e comandado as seleções do Equador e Honduras. Suárez chegou à seleção costarriquenha em 2021.

Roberto Martínez (Bélgica)

No comando da seleção belga desde 2016, o espanhol Roberto Martínez foi considerado um dos melhores técnicos da Copa de 2018, levando a Bélgica ao terceiro lugar, o melhor resultado da história da equipe em mundiais. Além disso, ele colocou a Bélgica, pela primeira vez, no topo do ranking de seleções da FIFA.

Roberto Martínez, treinador espanhol técnico da Seleção da Bélgica.

Walid Regragui (Marrocos)

Walid Regragui é técnico franco-marroquino jovem. Regragui chegou a seleção do Marrocos ainda em 2022. Antes disso, comandou o principal clube marroquino, o Wydad Casablanca, onde conquistou a Liga dos Campeões da CAF e o campeonato nacional.

Zlatko Dalic (Croácia)

Sem dúvida, a grande sensação da Copa da Rússia 2018 foi a Croácia, comandada por Zlatko Dalic. O técnico conseguiu levar superar os grandes favoritos e chegar a uma final inédita para o país. Mesmo derrotado, Zlatko Dalic segue no comando da seleção em busca de mais uma final e, quem sabe, o título.

Dragan Stojkovic (Sérvia)

Dragan Stojkovic foi um grande jogador da antiga Iugoslávia nos anos 1990. Como técnico, sua experiência não é tão grande, mas, como é um ídolo, assumiu a seleção sérvia, em 2021, com objetivo de unir o grupo e formar um time competitivo. Por enquanto, o técnico está tendo êxitos em seu trabalho.

Murat Yakin (Suíça)

Murat Yakin assumiu a seleção suíça em 2021. Essa é sua primeira experiência como técnico de uma seleção. Antes disso, Yakin já havia treinado Basel (principal clube da Suíça) e Spartak Moscou, da Rússia.

Fernando Santos (Portugal)

Fernando Santos está no comando da seleção português desde 2014. Neste período, conquistou os títulos inéditos da Eurocopa 2016 e da Liga das Nações 2018-2019, entrando para a história do futebol português. Agora, seu principal objetivo é chegar, pelo menos, até a final da Copa do Mundo pela primeira vez.

Fernando Santos, técnico da seleção potuguêsa.

Diego Alonso (Uruguai)

Durante 15 anos, a seleção uruguaia foi treinada por Óscar Tabárez. Em 2021, por questões de saúde, o treinador precisou ser substituído. Para seu lugar, a federação uruguaia contratou o jovem Diego Alonso.

Embora jovem, Alonso tem boa experiência como técnicos de equipes uruguaias e mexicanas, tendo já conquistado um título mexicano e duas Ligas dos Campeões da CONCACAF.

Paulo Bento (Coreia do Sul)

Paulo Bento é um técnico conhecido pelos torcedores brasileiros. O português esteve por aqui em 2016, quando treinou o Cruzeiro. Sua passagem não foi muito boa, o que resultou na sua demissão no meio da temporada.

Mesmo assim, Paulo Bento é considerado um bom técnico. Ele já foi treinador de seu país durante 4 anos e, desde 2018, comanda a seleção da Coreia do Sul.

Gustavo Alfaro (Equador)

O argentino Gustavo Alfaro é técnico da seleção equatoriana desde 2020. Antes disso, o treinador já comandou importantes equipes como San Lorenzo e Boca Juniors, seu último clube antes de assumir a seleção do Equador.

Dragan Skocic (Irã)

O sérvio Dragan Skocic fez quase toda sua carreira como treinador nos clubes do Oriente Médio. Em 2020, assumiu o comando da seleção iraniana. A Copa de 2022 será sua primeira experiência como técnico em um mundial.

Gregg Berhalter (EUA)

Gregg Berhalter chegou ao comando da seleção estadunidense em 2018, logo após o mundial disputado na Rússia. Desde então, o técnico vem fazendo um trabalho muito sólido, tendo conquistado os títulos da Liga das Nações da CONCACAF e a Copa Ouro.

Rob Page (País de Gales)

Embora Rob Page tenha assumido o comando da seleção principal do País de Gales em 2020, sua trajetória começou antes. Em 2017, Page foi treinador da seleção sub-21 e, em 2019, chegou a auxiliar técnico da equipe principal. Pouco mais de um ano depois, tornou-se o técnico do time.

Jalel Kadri (Tunísia)

Jalel Kadri tem uma longa experiência por várias equipes da Tunísia e do Oriente Médio. Também já foi o comandante da seleção tunisiana sub-20. Até começo deste ano, Kadri era o auxiliar técnico da seleção principal, mas, após a demissão do técnico, ele assumiu imediatamente o comando da equipe.

John Herdman (Canadá)

O inglês John Herdman é um técnico jovem que fez quase toda sua carreira no futebol feminino. Durante 5 anos, foi treinador da seleção feminina da Nova Zelândia e, por 7 anos, comandou a seleção feminina canadense. O bom desempenho na equipe feminina lhe rendeu o convite para assumir a seleção principal masculina em 2018.

John Herdman, treinador inglês técnico da seleção do Canadá.

Rigobert Song (Camarões)

Como jogador, Rigobert Song fez parte da forte geração camaronesa ao lado de Samuel Eto’o. Como técnico, sua experiência é exclusivamente na seleção e começou em 2018 quando assumiu a equipe sub-23. Em 2022, veio a oportunidade de comandar a seleção principal de seu país pela primeira vez.

Otto Addo (Gana)

Desde o começo de 2022, Otto Addo é o treinador da seleção principal de Gana. Esta é a sua primeira experiência como técnico de uma equipe. Embora inexperiente, Addo já foi assistente técnico da seleção e de alguns clubes alemães como Borússia Dortmund e Borússia Mönchengladbach.

Técnicos das seleções Copa 2022: palpites para o mundial

Agora que você conhece todos os 32 técnicos das seleções da Copa do Mundo 2022, venha conferir nossos artigos de palpite para os jogos do mundial. Neste texto, você encontrará as informações mais relevantes para ajudar na hora de você fazer sua aposta na Copa.

Confira alguns de nossos palpites:

Perguntas frequentes

Como apostar na Copa do Mundo 2022?
Existem muitas opções de casas de apostas online como, por exemplo, a Bet365, Sportsbet.io, Galera Bet, etc. Qualquer um destes sites que nós indicamos são confiáveis, pois foram analisadas por nossos especialistas. Portanto, se você gostaria de apostar nesta Copa do Mundo, te aconselhamos que visite estas plataformas e escolha aquela que seja mais adequada para você. 
Como funcionam as odds na Copa do Mundo?
Assim como nos campeonatos regulares de futebol, as odds representam, em valores, os times favoritos para apostas. Quanto menor as odds, mais alta a chance do time vencer. Quanto maiores as odds, menor é a probabilidade do time ser campeão. Para saber de quanto será seu retorno, basta multiplicar o valor investido pela odd divulgada.
Por que a Copa do Mundo 2022 será em novembro?
De forma inédita, a Copa do Mundo será disputada em novembro para evitar o calor extremo daquela região durante o verão, no meio do ano, período que se realiza o mundial tradicionalmente. 
Quais são os melhores sites de apostas para a Copa do Mundo 2022?
A internet nos oferece uma vasta opção de sites de apostas, e com a chegada da Copa do Mundo, as ofertas disponibilizadas por eles se tornam ainda melhores. Mas é preciso tomar alguns cuidados antes de realizar efetivamente a sua aposta, como, por exemplo, saber se a casa possui licença expedida internacionalmente. Ela é a sua principal garantia de que as apostas são livres de fraudes e que você pode confiar no serviço oferecido pela casa.

Artigos de dicas relacionadas

Maren Souza

Jornalista em processo e escritor por paixão. As apostas e os esportes estão entre os principais temas deste autor que, já há alguns anos, se dedica à escrita de artigos sobre o assunto. Seu objetivo é trazer aos leitores informações relevantes que os ajudem na hora de apostar.

Ver todas as mensagens de Maren Souza